Carapebus

A origem dos municípios de Carapebus está ligada à de Macaé, município ao qual pertenciam até recentemente, como sedes distritais.

A ocupação da área remonta à primeira metade do século XVII, tendo o núcleo inicial de Macaé progredido com base na economia canavieira, em torno da antiga Fazenda dos Jesuítas de Macaé, constituída de engenho, colégio e capela situada no Morro de Santana.

A Usina de Carapebus foi fundada nos idos de 1927, época em que ainda existiam na região muitas outras usinas de açúcar, sendo a primeira fonte de renda e de emprego do então terceiro distrito de Macaé. Carapebus adquiriu sua autonomia municipal em 19 de julho de 1995.

Caracterização do Município

Carapebus pertence à Região Norte Fluminense, que também abrange os municípios de Campos dos Goytacazes, Cardoso Moreira, Conceição de Macabu, Macaé, Quissamã, São Fidélis, São Francisco de Itabapoana e São João da Barra.

■ PONTOS TURÍSTICOS

Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba
Única área de preservação dedicada à vegetação de restinga, o Parque Nacional de Jurubatiba é um dos maiores tesouros ambientais do país. Criado por Decreto Federal em 24 de abril de 1998, Jurubatiba é uma Unidade de Conservação Federal que tem como objetivo preservar o patrimônio natural. O parque possui 44 km de praias, 14.860 hectares de restinga, com 18 lagoas costeiras de rara beleza e de grande interesse ecológico. Ele abrange os municípios de Carapebus, Macaé e Quissamã.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória
Representando a glorificação de Maria devido à sua absoluta pureza em relação a qualquer pecado, Nossa Senhora Glória é cultuada há muito tempo no Brasil. O primeiro templo dedicado à santa foi erigido, ainda em 1503, pelos recém-chegados colonos portugueses que aportaram em Porto Seguro. Em Carapebus, a igreja em homenagem à Nossa Senhora da Glória levou quase 20 anos para ser erguido: a matriz, que começou a ser construída em 1932, só foi inaugurada em 1950. Localizada na Praça Frei Baltazar, ela é considerada uma das mais igrejas da região norte fluminense.

Igreja do Caxangá
A paróquia de Nossa Senhora da Conceição, ou Igreja do Caxangá como é mais conhecida, é centenária. Um dos orgulhos dos moradores de Carapebus, foi construída entre 1865 e 1882, no bairro do Caxangá. Quando concluída, acabou ficando afastada da então vila, uma vez que a população se aglomerou em torno da Estação da Estrada de Ferro, atual Centro de Carapebus.

Estação Cultural
O Centro Cultural ocupa o prédio de uma antiga estação ferroviária, totalmente reformada. Desde 1997, dentro do Programa Despertando Arte, o espaço realiza cursos e oficinas de teatro, canto, violão e artesanato, além de mostras e venda de artesanato e exposições. Ao fim de cada mês, abriga o Café Literário, evento que reúne apresentações de todas as oficinas, além de leitura de poesias.

Biblioteca Pública Municipal de Carapebus
A biblioteca coloca à disposição da população local cerca de 5 mil livros para consulta e pesquisa. A unidade também conta com 11 computadores doados pelo Estado para pesquisa e uso exclusivo de estudantes.

 

■ PRAIAS

Praia de Carapebus
Localizada em área de restinga, de extensão aproximada de 12 km, a Praia de Carapebus tem como limite as praias Lagomar e João Francisco (Quissamã). Com águas frias e transparentes, é propícia para banhos, apesar do mar forte. Um estreito cordão de restinga, paralelo à praia, separa o oceano de diversas lagunas de diferentes conformações e áreas.

Lagoa de Carapebus
Um dos principais pontos turísticos da cidade, a lagoa – com área aproximada de 10 km2 – é formada por vários córregos e ligada ao canal Macaé-Campos. A microbacia Lagoa de Carapebus localiza-se no centro do município, com uma parte dela na Restinga de Jurubatiba. Seu principal curso d’água, com 5 km de extensão, é o córrego da Maricota, em Carapebus.

■ COMO CHEGAR

De Carro:

As ligações da sede municipal com os outros municípios da Região das Baixadas Litorâneas e do Estado são feitas por duas rodovias e uma ferrovia. A RJ-178 liga Carapebus a Macaé, ao sul, e a Quissamã, ao norte. A RJ-182 alcança a BR-101, no caminho para Conceição de Macabu. A ferrovia, que liga o Estado do Rio de Janeiro ao Espírito Santo, é usada quase que exclusivamente para transporte de cargas.

A rodovia RJ-178 – Macaé – Campos, de acordo com o mapa do DNIT de 2002, passa por Carapebus e termina seu trecho pavimentado na localidade de Santa Catarina, ao norte da sede de Quissamã. Dali segue em leito natural até Dores de Macabu, no extremo sul de Campos. Dali, é renomeada RJ-180, há mais um trecho de terra até a altura de Ibitioca, onde conecta com a BR-101.

De Ônibus:
N/D

De Avião:
N/d

■ MAPA DA REGIÃO

Confira

Amaturá

 Amaturá localiza-se no interior do estado há cerca de 907 quilômetros da capital Manaus, possui …